Image
0

Médicos descobrem árvore crescendo em pulmão de paciente…

Médicos descobrem árvore crescendo em pulmão de paciente...

Cirurgiões na Rússia acreditavam que iriam retirar um tumor do pulmão de um paciente de 28 anos. No entanto, eles encontraram uma planta – de cerca de 5 centímetros – crescendo no interior do órgão do paciente.

O incidente ocorreu na região dos Urais, segundo o diário “Komsomolskaya Pravda”. Artyom Sidorkin reclamava de dor no peito e relatava aos médicos que tossia sangue.

“Quando me disseram que haviam encontrado uma árvore no meu pulmão, pisquei e acreditei que estava delirando”, conta Sidorkin.

Os médicos acreditam que Sidorkin tenha inalado uma semente de um abeto – uma árvore conífera comum na América do Norte, Ásia e Europa -, que depois começou a brotar em seu pulmão.

fonte G1

0

Barulho de barco deixa filhotes de peixes desorientados, diz estudo…

Uma pesquisa realizada por cientistas britânicos aponta que o barulho de barcos prejudica a orientação dos filhotes de peixes (chamados popularmente de alevinos) que habitam recifes de corais.

Segundo o estudo, conduzido na região da Polinésia Francesa por pesquisadores da Universidade de Bristol e da Universidade de Exeter, filhotes de peixes mostraram-se mais propensos a nadar para longe dos recifes quando ouviam barulho de embarcações.

Peixes e animais invertebrados produzem sons debaixo d’água ao bater nadadeiras e agitar o corpo, como forma de marcar território ou dar avisos, dizem cientistas. “Sons naturais sob as águas são usados pelos animais também para encontrar habitat adequado. Se este equilíbrio é quebrado pela passagem de barcos, locais como recifes de corais podem ser afetados”, disse a pesquisadora Sophie Holles, da Universidade de Bristol, em entrevista ao site da instituição.

A pesquisa usou experimentos de campo controlados, em que os filhotes (ou larvas) foram colocados em longos tubos de plástico próximos a corais. Os animais, na situação, poderiam nadar na direção de um alto-falante tocando diferentes tipos de som ou fugir dele.

Quando confrontados com o barulho ambiente, os animais espalhavam-se aleatoriamente pelo tubo. Ao tocar sons gravados previamente em um recife de corais, o alto-falante atraía os peixes, que nadavam em sua direção.

Já quando esse mesmo som era tocado junto com barulho de embarcação gravado, mais peixes fugiam do barulho e do alto-falante, apontam os pesquisadores. “Esta é uma das primeiras indicações de que a poluição sonora pode afetar o comportamento de orientação dos peixes”, afirmou o pesquisador Andy Radford.

“Existe uma evidência crescente de que deveria haver controle da atividade humana em áreas ambientais protegidas para reduzir o impacto que o barulho pode ter nos peixes”, completou Radford, em entrevista para o site da Universidade de Bristol.

fonte G1

Image
0

Os ai-ais

Os ai-ais

NOME COMUM: ai-ai
NOME CIENTÍFICO: Daubentonia madagascariensis
NOME EM INGLÊS: Aye-aye
FILO: Chordata
CLASSE: Mammalia
ORDEM: Primates
FAMÍLIA: Daubentoniidae
PESO: até 5 kg.
CARACTERÍSTICAS: Comprimento: até 45 cm, mais 50 cm de cauda . Polegar oponível nas patas dianteiras e traseiras. Dedos longos, providos de unhas. Unhas dos polegares chatas, dedos das patas traseiras grandes.
TAMANHO: corpo 36 a 44cm, rabo 50 a 60cm.
PESO: Peso de adulto aproximadamente 2kg.
TEMPO DE VIDA COMUM: Um espécime cativo viveu durante 23 anos e 3 meses (o Jones, 1982).
REPRODUÇÃO: Pouco é conhecido sobre os hábitos de reprodução do ai-ai. Provavelmente cria a cada dois ou três anos uma vez; um filhote nasce em outubro-novembro.
MATURIDADE SEXUAL: 2 anos, em cativeiro,
GESTAÇÃO: 170 dias
Nº DE CRIAS: um filhote, colocado num ninho esférico.
HABITAT: Ai-ai só vivem na parte do norte da floresta tropical da costa oriental de Madagáscar em florestas, rochedos e moita de bambu.
COMPORTAMENTO: O ai-ai é estritamente noturno e solitário. Durante o dia dorme em um ninho construído no tronco de uma árvore grande aproximadamente 10-15 metros fora o solo. O ninho é uma estrutura complexa de entrelaçar de ramos e folhas e provavelmente exige tempo para ser construidor. Um ninho novo é construído em alguns dias. O ai-ai é principalmente arbóreo, onde usa suas garras longas para agarrar os ramos e troncos de árvore, mas fará viagens longas pelo solo.

O ai-ai é um animal de hábitos noturnos. No escuro não se consegue ver os seus dedos longos e finos, com unhas em forma de garra, a sua cauda encorpada e as suas orelhas peladas. Só aparecem os olhos brilhantes, cor-de-laranja. Esse animal estranho ocorre nas florestas da República Malgaxe e também aparece nas lendas daquele país.

De acordo com uma dessas lendas, se um homem dormir na floresta, os ai-ais farão um travesseiro de folhas para ele. Se o homem encontrar o travesseiro embaixo da cabeça quando acordar, é sinal de que irá se tornar muito rico; mas se estiver embaixo de seus pés, será atingido por um feitiço. Os ai-ais, infelizmente, são cada vez mais raros. Há talvez apenas algumas dezenas.

O ai-ai possui incisivos semelhantes aos dos roedores. Anda sozinho ou em pares. Faz tocas nos arbustos ou em ocos das árvores. Come frutas, mas seu alimento principal são as larvas de insetos que penetram no tronco das árvores.

Encontra as larvas escutando o ruído que fazem. Quando localiza uma larva, rói a casca da árvore, põe o longo dedo médio no túnel escavado pela larva e a retira com a unha.